5 formas de resolver o problema da dependência do Crack

5 formas de resolver o problema da dependência do Crack

pedra de crack

Pedras de Crack

O crack é uma substância estimulante (psicoativa euforizante), que se faz à base de bicarbonato de sódio e cocaína. Entretanto, para que seja possível obter as pedras de crack, são adicionadas à cocaína uma série de substâncias tóxicas, tais como a gasolina, água de bateria e querosene. Como a pedra de crack não é solúvel em água ela não pode ser injetada.
Por isso, sua utilização é feita fumando através de um cachimbo ou lata aquecida.

A droga precisa ser aquecida a uma temperatura de 95ºC para que passe do estado sólido para o vapor. Durante o processo de queima ela produz um determinado ruído, que foi o que lhe rendeu o seu nome: crack.
O uso dessa substancia a longo prazo causa uma série de consequências, físicas, psicológicas e sociais, além de uma forte dependência química.

Isso porque o uso de crack causa danos ao pulmão, aumento no risco de acidente vascular cerebral, degeneração muscular e destruição das células cerebrais. Já no aspecto psicológico o crack causa durante a abstinência, uma forte depressão, agressividade, ansiedade e grande desconforto.
Concomitantemente com isso, as relações sociais se acabam, existe um abandono das relações sociais com familiares e no trabalho, levando à exclusão social.

Dessa forma, pode-se perceber que o crack é uma droga muito intensa e poderosa, que precisa de tratamento, paciência e muito trabalho, par que o dependente químico consiga se livrar.
Justamente por isso que você pode conferir a seguir 5 formas de resolver o problema da dependência do Crack. Vamos lá?!

5 formas de resolver o problema da dependência do Crack

Se você possui por perto qualquer pessoa sob suspeita de uso do crack, ainda mais se estiver na faixa de idade vulnerável, tal como adolescente, procure manter um bom relacionamento, garantindo a abertura do
diálogo. Agora veja as 5 formas de resolver o problema da dependência do Crack:

Diálogo e observação:Dependência do crack

O melhor a se fazer é buscar saber mais sobre a vida dessa pessoa, observando mudanças de comportamento e mantendo um vínculo próximo que é fundamental para detectar o problema.

Orientação:Dependência do crack

Os adolescentes tendem a sentir-se destemidos e desafiados ao se aproximarem do perigo, tendo a ilusão de que tem o controle da situação. Nesses casos a orientação é sempre fundamental.

Desintoxicação:Dependência do crack

Já estabelecido o problema de uso de crack, é necessário partir para a ação. Nesse processo o dependente passa por diversas fases, tal como a síndrome de abstinência que surge
apenas 8h após cessar o uso da droga. Em casos leves a desintoxicação pode ser feita em casa ou em ambulatório, com repouso absoluto, em outras é preciso a internação.

Prevenção à recaída:Dependência do crack

Essa é uma etapa um pouco mais longa que dura de seis a oito meses na qual o viciado reaprende a viver sem crack e todo o seu tratamento é voltado para que se estabilize.
É nesse momento que o cérebro entra em uma fase conhecida como desabituação da droga, que nada mais é do que um fenômeno biológico.
Aos poucos, então, o indivíduo vai se tornando capaz de retomas as suas atividades normais, porém é importante que haja sempre um monitoramento.

Manutenção:Dependência do crack

A fase de manutenção tem um período de duração de aproximadamente seis meses. Nele, o usuário continua o tratamento com periodicidade quinzenal ou mensal, de acordo com cada caso.
Entretanto, se há algo que é consenso geral é que as recaídas fazem parte do processo. Isso porque as estatísticas afirmam que em média 50% dos pacientes voltam a consumir substância entorpecentes após o tratamento.

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre o crack e como resolver o problema da dependência química!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *